Após tomada de QG, Kadafi promete 'vitória' ou 'morte'

Ditador líbio disse que optou por uma 'retirada tática' de seu quartel-general em Trípoli

O coronel Muamar Kadhafi revelou, na madrugada desta quarta-feira, que optou por uma "retirada tática" de seu quartel-general, no bairro de Bab el-Aziziya, em Trípoli, ocupado pelos rebeldes nesta terça-feira e prometeu "morte ou vitória", diante do que qualificou de uma "agressão" das tropas ocidentais. 

"Bab el-Aziziya não era nada mais do que um monte de escombros, após ter sido bombardeado por 64 mísseis da Otan (desde o início do conflito) e nos retiramos por razões táticas", declarou Kadafi em mensagem de áudio divulgada pela rede de televisão Al Oruba e também pelo site do canal Al Libiya.

Na mensagem, Kadafi não faz qualquer referência ao local para onde se retirou.

Já o porta-voz do regime, Mussa Ibrahim, fez um apelo aos "voluntários" e garantiu que mais de 6.500 homens chegaram a Trípoli nas últimas horas para engrossar as fileiras "kadafistas". "Os voluntários podem vir à Líbia e nós lhe daremos armas, munição e treinamento", declarou Ibrahim à rede de TV síria Arrai.

"Se os bombardeios prosseguirem, vamos transformar a Líbia em uma fogueira e saberemos proteger os civis dos bandos e da aliança dos cruzados", afirmou o porta-voz.

"As forças armadas líbias detiveram vários comandantes militares dos revolucionários da Otan".

Os rebeldes líbios tomaram nesta terça-feira o quartel-general de Kadafi em Trípoli, onde as tropas leais ao regime resistem em apenas alguns bairros da capital.