União Europeia oficializa pedido de sanções à Síria

Vários países europeus propuseram oficialmente nesta terça-feira a adoção de sanções das Nações Unidas contra a Síria, pela repressão do regime do presidente Bashar al Assad aos protestos da oposição, informaram diplomatas.

"A França e seus sócios comunicaram ao Conselho de Segurança um projeto de resolução com sanções", disse a missão francesa na ONU.

O texto foi apresentado na sessão do Conselho de Segurança sobre a Síria por França, Grã-Bretanha, Alemanha e Portugal, e tem o firme apoio dos Estados Unidos, segundo vários diplomatas.

Segundo um diplomata ocidental que pediu para não ser identificado, o presidente sírio "é citado na resolução, que também propõe um embargo de armas".

A resolução afeta pessoas e entidades consideradas responsáveis pela violenta repressão contra os opositores ao regime e "pretende evitar que o governo (sírio) tenha os meios para semear a violência".

Os diplomatas ocidentais esperam intensas negociações antes de uma eventual votação.

Rússia e China rejeitam qualquer forma de intervenção contra a Síria, enquanto Brasil, Índia e África do Sul têm objeções.