Tribunal rejeita apelação de camareira e DSK é libertado

Um tribunal dos Estados Unidos rejeitou nesta terça-feira uma apelação feita pela camareira que acusa o ex-chefe do FMI Dominique Strauss-Kahn de estupro, o que significa que o político francês poderá ser libertado após três meses de batalha judicial.

Mais cedo, um juiz americano rejeitou todas as acusações contra Strauss-Kahn, que foi acusado de estuprar a camareira em um luxuoso quarto de hotel em Manhattan, mas os advogados dela tinham entrado com uma apelação em um tribunal superior.