Governo indiano quer fim da greve de fome de militante anticorrupção

O primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, pediu nesta terça-feira ao militante anticorrupção Anna Hazare o fim da greve de fome iniciada há uma semana com grande apoio da população para exigir a alteração de um projeto de lei.

"Espero que considere minhas propostas e interrompa a greve de fome, para recuperar a saúde e a vitalidade", escreveu Manmohan Singh em uma carta dirigida ao militante de 74 anos e divulgada por seu gabinete.

Segundo o primeiro-ministro, que afirma estar "preocupado" com o ativista, já perdeu seis quilos segundo os simpatizantes, o governo está disposto a conversar com todos.

"No entanto, devemos levar em consideração a supremacia parlamentar e as obrigações constitucionais em termos de legislação".

As demandas de Anna Hazare estão centradas em um projeto de lei, chamado Lokpal Bill, que deseja criar um posto de mediador da República para fiscalizar os políticos e os funcionários públicos.

Hazare deseja que o mediador tenha poderes para investigar também o chefe de Governo e os altos magistrados no caso de suspeita de corrupção.

Singh prometeu que o Parlamento estudará "cláusula por cláusula" o projeto de lei apresentado pelo governo e outras versões, incluindo a do ativista.

A carta do premier é uma tentativa de saída da crise para o governo de centroesquerda, surpreendido com a onda de apoio popular ao ativista e às manifestações da semana passada em Nova Délhi.