Vice-presidente americano visita a China sob o fantasma da dívida

 O vice-presidente americano Joe Biden viajou nesta terça-feira à China sob uma chuva de críticas pela crise da dívida, com o objetivo de buscar um diálogo com o enigmático próximo líder da potência asiática.

Biden permanecerá cinco dias na China, antes de seguir para a Mongólia, um sócio emergente dos Estados Unidos, e o Japão, antigo aliado.

A viagem do vice de Barack Obama estava programada há meses, depois do convite de seu colega chinês, Xi Jinping, que deve ser o novo líder do país a partir de 2013, mas que é praticamente desconhecido nos círculos políticos dos Estados Unidos.

Enquanto Biden pretende centrar a visita na construção de uma relação com Xi, a viagem corre o risco de ser ofuscada pelas críticas da China aos Estados Unidos depois da redução da nota da dívida pública americana pela agência Standard & Poor's.

O governo da China, maior proprietário de títulos americano, criticou os Estados Unidos, país que chamou de irresponsável e ao qual pediu que viva dentro de suas possibilidades.