Encontradas provas das mortes de menores em centro católico na Holanda

Uma comissão que investiga acusações de abusos sexuais cometidos por integrantes da igreja holandesa anunciou nesta terça-feira ter encontrado provas das mortes de menores nos anos 50 em uma instituição católica.

"A comissão Deetman descobriu várias mortes ocorridas em um antigo instituto psiquiátrico de Heel" (sudeste), afirma a comissão em um comunicado.

"As informações dizem respeito a um número de mortes de menores de idade acima da média em 1952, 1953 e 1954", completa o texto, que destaca que as informações foram descobertas depois da análise dos arquivos de várias dioceses, ordens e congregações.

A comissão explica que não pode determinar se foram cometidos abusos sexuais contra os menores de idade no centro de saúde mental, mas revela que informou em 23 de maio de 2011 a procuradoria holandesa para que iniciasse uma "investigação mais profunda".

A procuradoria afirma em uma nota oficial que 34 menores morreram no instituto psiquiátrico de Heel entre 1952 e 1954, "número acima do normal".

Apesar da prescrição dos fatos, a justiça decidiu abrir uma investigação pela "envergadura do impacto que um assunto como este tem na sociedade".

A igreja católica holandesa nomeou o ex-ministro da Educação Wim Deetman para coordenar uma investigação sobre supostos abusos sexuais contra menores por integrantes do clero de 1945 até os dias atuais.