México prende líder de uma das principais organizações criminosas do país

O presidente do México, Felipe Calderón, comemorou hoje (15), por meio da rede social Twitter, a prisão de Oscar Oswaldo Garcia Montoya, apontado como chefe da organização criminosa La Mano com Ojo (Mão no Olho, em tradução livre). Montoya, em depoimento à polícia, admitiu ter participado de pelo menos 600 assassinatos.

Para Calderón, a prisão preventiva de Montoya é um "bom golpe contra o crime". Porém, ele disse lamentar a invasão policial em casas no estado do México, iniciativa criticada por vários setores e pela imprensa. Segundo o presidente, foi apresentado um pedido formal de desculpas por meio do Procurador-Geral do Estado do México.

Na tentativa de capturar Montoya, no último dia 11, policiais invadiram várias casas na região de Tlalpan, próxima à capital mexicana, a Cidade do México. De acordo com relatos, foram invadidas as casas do poeta Efraín Bartolomé e da bióloga Patricia Magana. Segundo eles, objetos foram roubados e houve abuso do uso da força policial.

O secretário técnico do Conselho de Segurança Nacional, Alejandro Romero Poiré, negou que o México seja considerado pela comunidade internacional um dos países mais violentos do mundo. Nem mesmo os dados sobre assassinatos, sequestros e atos de violência nas regiões de Sinaloa, Chihuahua e Tamaulipas, que sofrem com as ações dos cartéis de tráfico de drogas e pessoas, colocam o México entre os mais violentos, segundo Poiré.

 *Com informações da agência pública de notícias do México, Notimex, e da agência estatal de notícias de Cuba, Prensa Latina