Líbia: rebeldes avançam em Zauiya e se aproximam de Trípoli

Os rebeldes líbios anunciaram que se aproximavam, este domingo, de Trípoli, após terem tomado o controle de uma parte da cidade de Zauiya (oeste), enquanto testemunhas informaram sobre a presença de reforços militares excepcionais na fronteira entre a Tunísia e a Líbia.

Os rebeldes que lutam contra o regime do coronel Muammar Kadhafi tomaram o controle de uma parte da cidade de Zauiya, a 40 km de Trípoli, mas eram submetidos a um intenso bombardeio de artilharia, comprovou um fotógrafo da AFP no local.

"Nossas forças controlam as entradas oeste e sul de Zauiya e penetramos três quilômetros no interior da cidade", disse no domingo o comandante rebelde Bashir Ahmed Ali, que reconheceu ter havido muitas perdas devido a franco-atiradores.

"As forças do regime controlam o leste e o centro da cidade, onde franco-atiradores disparam dos tetos dos edifícios", acrescentou.

Em Zauiya, os combates continuaram à tarde com as forças do regime, informou o representante na cidade do Conselho Nacional de Transição (CNT), órgão político dos rebeldes, com sede em Benghazi (leste).

Segundo o fotógrafo da AFP, os combates cotinuam também no sul de Surnam, mais a oeste. Os rebeldes tentaram avançar na cidade, mas forças pró-Kadhafi os bombardearam do interior.

Segundo o fotógrafo, a bandeira vermelha, preta e verde da rebelião, com as cores da Líbia monárquica anterior ao golpe de Estado do coronel Kadhafi, em 1969, tremula no minarete de uma das mesquitas de Zauiya.

Com o avanço em Zauiya, os rebeldes, procedentes de Jebel Nefusa, região montanhosa na fronteira com a Tunísia, tentam ameaçar o regime pelo flanco sudoeste.

Este avanço dos rebeldes, um dos mais significativos desde o início do conflito, em 15 de fevereiro, acontece quase seis meses depois do início da revolta contra o regime. As forças de kadhafi já esmagaram dois levantes em Zauiya desde o início da rebelião.

Durante o ataque a Zauiya, as forças rebeldes tomaram um tanque do exército que levaram para os arredores da cidade, mas o veículo blindado foi destruído por um avião da Otan, matando quatro rebeldes.

O fotógrafo da AFP viu marcas de sangue diante do tanque e os rebeldes lhe disseram que quatro de seus companheiros haviam morrido no ataque.

Em seu relatório diário, a Otan informou ter destruído dois tanques em Zauiya, sem dar maiores detalhes.

Por outro lado, reforços excepcionais e movimentações pouco habituais foram constatados em Ras Jedir, do lado líbio do posto fronteiriço entre a Líbia e a Tunísia, enquanto alguns insurgentes feridos chegaram no domingo à cidade de Tatauin (sul), informaram fontes coincidentes que não indicaram as razões destas movimentações.

"Há uma presença sem precedentes de unidades de segurança pró-kadhafi, com blindados e armas pesadas do lado líbio da passagem fronteiriça", informou à AFP uma testemunha que pediu para ter a identidade preservada.

No entanto, um porta-voz do ministério do Interior tunisiano disse que "a situação é normal".

Nenhum civil líbio foi autorizado a cruzar o posto de controle, pois as unidades pró-Kadhafi repelem todos os líbios que vão para a Tunísia, acrescentou.

Outro homem que também pediu para se manter anônimo disse ter visto um movimento não usual no cruzamento fronteiriço.

Segundo ele, quatro guardas líbios cruzaram o posto à noite, mas depois retornaram ao território líbio.

As duas testemunhas informaram que há violentos combates a 40 km de Ras Jedir e mencionaram a deserção de autoridades líbias, mas esta última informação não foi confirmada por fonte segura.

A agência tunisiana TAP anunciou, por sua vez, a chegada no domingo a Tatauin (extremo sul) de seis feridos entre os insurgentes líbios, que "cruzaram a fronteira por vias saarianas".

As seis pessoas, duas delas em estado muito grave, ficaram feridas em combates violentos ocorridos em Zauiya, acrescentou a TAP, citando acompanhantes dos feridos.

Nas outras duas frentes, no enclave costeiro de Misrata (200 km ao leste de Trípoli) e em Brega (leste), os pró-Kadhafi parecem em dificuldade há alguns dias, embora só tenham cedido pouco terreno.