Pelo menos sete mortos em novo dia de repressão na Síria

As forças sírias mataram sete pessoas nesta sexta-feira em várias cidades do país, em um novo dia de manifestações contra o regime do presidente Bashar al-Assad.

Um homem morreu quando tentava escapar de uma onda de prisões em Saqba, subúrbio de Damasco, enquanto na localidade de Sheijun, na província de Idleb (noroeste), uma mulher morreu baleada durante uma operação das forças de segurança, disse à AFP o diretor do Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), Rami Abdel Rahman.

Na cidade de Homs (centro), um homem morreu atingido por disparos de um francoatirador que estava escondido atrás de uma mesquita, enquanto dois civis foram mortos em Duma, subúrbio de Damasco, quando as forças de segurança abriram fogo para dispersar os manifestantes, acrescentou o OSDH.

Em Hama (centro), um ativista afirmou que um homem morreu e outros três civis ficaram feridos quando o Exército abriu fogo contra os manifestantes que se reuniam após as orações de meio-dia.

Em Deir Ezzor (leste) um civil morreu, segundo outro ativista, que não deu mais detalhes.

Por sua vez, a televisão pública síria anunciou "a morte de dois agentes de segurança pelos disparos de homens armados em Duma".

Na quinta-feira, pelo menos 16 pessoas morreram pela repressão do exército.