Milhares de pessoas saem às ruas do Iêmen para exigir a queda de Saleh

Centenas de milhares de iemenitas se manifestaram nesta sexta-feira invocando a vitória contra os tiranos, um dia após o anúncio do presidente Ali Abdullah Saleh de que acata o plano das monarquia do Golfo que contempla uma transição pacífica no Iêmen.

"Deus com sua grande misericórdia nos dá a vitória durante o Ramadã (mês sagrado do Islã)", gritavam os manifestantes reunidos na avenida Sittine, no oeste da capital de Sanaa.

"Revolução, revolução de todos contra os tiranos", repetiam os manifestantes nesta "sexta-feira da vitória", ao mesmo tempo em que pediam a criação de um "novo Iêmen".

Manifestações similares ocorreram também na segunda maior cidade do país, Taez, assim como em Ibb, Hudaydá, Saada, Adén e Marib.

Ao mesmo tempo, milhares de partidários do presidente Saleh se reuniram na praça Sabiine, no sul da capital, unidos em torno do slogan "o povo quer Ali Abdullah Saleh".

Carregaram retratos do presidente iemenita em um dia que batizaram como "aliança nacional para proteger a legitimidade da Constituição".

Saleh, doente em Riad (Arábia Saudita), assegurou na quinta-feira que acata o plano das monarquias do Golfo que prevê uma transição pacífica no país, onde os protestos populares pedem sua queda desde o fim de janeiro.

No poder desde 1978, Saleh rejeitou assinar este plano do Golfo, apesar das fortes pressões nacionais e internacionais.

Este plano, elaborado em consulta com os Estados Unidos e a União Europeia, prevê a formação pela oposição de um governo de reconciliação e a renúncia, um mês mais tarde, de Saleh, em troca de sua imunidade.