Coreia do Norte nega disparos da artilharia perto do sul

A Coreia do Norte desmentiu na madrugada desta quinta-feira (horário local) ter promovido disparos de artilharia perto da fronteira com o sul, assegurando que apenas foram utilizados explosivos para trabalhos de construção, informou a agência oficial norte-coreana KCNA.

"Houve um uso normal de explosivos na região (...) perto das cinco ilhas do mar ocidental da Coreia", informou a KCNA, citando o representante norte-coreano nas negociações militares com o sul, e acusou Seul de "desinformação" por ter citado na véspera tiros de artilharia no norte.

O Ministério da Defesa sul-coreano denunciou que Pyongyang tinha voltado a efetuar nesta quarta-feira disparos de artilharia perto de sua fronteira marítima com a Coreia do Sul.

Poucas horas antes, as Forças Armadas sul-coreanas tinham aberto fogo em resposta a tiros de artilharia norte-coreanos perto da tensa fronteira entre os dois países no Mar Amarelo.

O primeiro incidente ocorreu às 13h00 locais de quarta-feira (01h00 de Brasília), quando a Coreia do Norte disparou perto da fronteira marítima.

Pyongyang voltou a disparar às 19h46 locais perto da conhecida Linha Limite do Norte, enquanto Seul respondeu como aviso, disse à AFP um porta-voz do ministério.

"Não houve mais disparos depois, mas estamos acompanhando a situação de perto", completou, sem informar quantos disparos foram feitos.

Um morador da ilha de Yeonpyeong, citado pela agência sul-coreana Yonhap, disse que o norte disparou três vezes, assim como pela manhã.