Para McCain ritmo de retirada de tropas do Afeganistão representa risco inútil

WASHINGTON, 3 julho 2011 (AFP) - O ritmo de retirada de um terço do contingente americano do Afeganistão representa um "risco inútil" e pode comprometer os avanços obtidos no campo de batalha, afirmou neste domingo o influente senador republicano John McCain ao canal CNN.

"É um fato que nenhum militar recomendou uma saída tão precoce e se trata de um risco inútil", comentou McCain no programa "State of the Union".

"Nos vilarejos afegãos nos dizem que a população pergunta se vamos embora ou não e isto poderia comprometer todos os esforços e sacrifícios que realizamos", destacou o senador, que visita Cabul.

O presidente Barack Obama anunciou em 22 de junho a retirada 33.000 soldados americanos do Afeganistão até setembro de 2012. Segundo o governo, 10.000 militares devem retornar até o fim do ano.

As tropas correspondem aos reforços que o próprio Obama enviou ao país asiático no fim de 2009. Em novembro de 2012 acontecerão eleições presidenciais nos Estados Unidos.

O general David Petraeus, comandante das forças internacionais no Afeganistão, apresentou ao presidente uma série de propostas, mas a decisão de Obama foi além do que o militar desejava, segundo fontes do governo americano.

Segundo o ex-secretário da Defesa Robert Gates, o presidente levou em consideração a "situação polìtica" nos Estados Unidos ao tomar a decisão, sobretudo o pouco apoio à guerra entre a população.