Oposição consegue grande vitória na Tailândia

BANGCOC, 3 julho 2011 (AFP) - Os tailandeses compareceram em grande número às urnas neste domingo para as eleições legislativas e optaram pela oposição, ligada ao ex-premier exilado Thaksin Shinawatra, segundo as primeiras pesquisas, que atribuem maioria absoluta ao grupo no próximo Parlamento.

O partido Puea Thai, liderado por Yingluck Shinawatra, irmã de Thaksin, conseguiria 313 das 500 cadeiras, enquanto os Democratas do atual premier, Abhisit Vejjajiva, ficariam com apenas 152, segundo uma pesquisa da Universidade Suan Dusit, divulgada ao fim do horário de votação. Outras sondagens apresentam resultados similares.

Os primeiros resultados oficiais devem ser divulgados ainda neste domingo, mas na sede do Puea Thai os militantes celebraram a vitória aos gritos de "Yingluck número um", "Yingluck primeira-ministra".

Se a lógica for respeitada, Yingluck, uma fotogênica empresária de 44 anos, será a primeira mulher chefe de Governo da história da Tailândia.

Thaksin Shinawatra pediu em uma entrevista a um canal de televisão que todos os partidos respeitem os resultados.

"Espero que todos os partidos respeitem a decisão do povo, pois em caso contrário nosso país não poderá alcançar a paz", afirmou em Dubai, onde vive exilado.

O duelo entre dos dois partidos marca a divisão entre as elites da capital - altos funcionários públicos, magistrados, militares, o palácio real -, que levaram Abhisit ao poder no fim de 2008, e as massas rurais e urbanas desfavorecidas, para as quais Thaksin é um herói.

Yingluck, que Thaksin descreveu como seu 'clone', não tinha nenhuma experiência política quando foi alçada à arena política há menos de dois meses.