Chefe máximo das Farc escapa de nova ofensiva militar na Colômbia

O presidente colombiano, Juan Manuel Santos, revelou neste domingo que o guerrilheiro conhecido como "Alfonso Cano", chefe máximo das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), escapou há três dias de uma terceira operação sobre seu acampamento lançada pelas tropas militares.

"Encontramos sua roupa. Nota-se nas provas que encontramos que ele deixou metade do que tinha e saiu correndo", declarou Santos, após um sobrevoo à região das ações, no sudoeste da Colômbia, e uma visita às tropas responsáveis.

As operações contra "Cano", que já duram três anos, se centram em uma extensa área da Cordilheira dos Andes, onde confluem os territórios dos departamentos de Tolima, Cauca e Huila.

Santos informou que a nova ação foi um bombardeio lançado na quinta-feira de manhã, em uma região entre Paez e Nátaga, cidades dos departamentos de Cauca e Huila, respectivamente. Além de pertences pessoais, as tropas encontraram dois cachorros no local, que seriam do líder guerrilheiro.

O presidente explicou que as autoridades souberam do local com base em relatórios fornecidos por subalternos do chefe máximo das Farc. Santos destacou ainda que as Farc "estão cada vez mais desesperadas".