Advogado afirma que Mladic se nega a comparecer ao TPI na segunda-feira

BELGRADO, 3 julho 2011 (AFP) - O ex-chefe militar dos sérvios da Bósnia Ratko Mladic se nega a comparecer ao Tribunal Penal Internacional para a antiga Iugoslávia (TPII), no qual deve se declarar culpado ou inocente de genocídio e crimes contra a humanidade, anunciou neste domingo seu advogado.

"Mladic disse às autoridades penitenciárias que não queria comparecer à corte em Haia", afirmou à AFP Milos Saljic.

"Decidiu não comparecer porque os membros de sua equipe de defesa ainda não foram aprovados", completou.

"Mladic disse que não podia estudar a ata de acusação nem se preparar sem advogados".

Um advogado russo integraria a equipe, segundo Saljic.

De acordo com Nerma Jelacic, porta-voz do TPII, Mladic "apresentou uma lista de preferências que está sendo examinada".

Durante a primeira audiência, em 3 de junho, Mladic, 69 anos, pediu um prazo adicional para tomar conhecimento das acusações contra ele, antes de se declarar culpado ou inocente.

Acusado de genocídio, crimes de guerra e contra a humanidade durante a guerra da Bósnia (1992-1995), Ratko Mladic foi detido em 26 de maio na Sérvia, após 16 anos de fuga.