Strauss-Khan: FMI vai cooperar com investigações, diz porta-voz

O FMI está disposto a cooperar com a investigação judicial do ex-diretor geral, Dominique Strauss-Kahn, acusado por uma camareira do hotel que estava hospedado em Nova York de tentar estuprá-la, afirmou um porta-voz nesta quinta-feira.

"Vamos agir como bons cidadãos dos Estados Unidos, onde moramos", disse a porta-voz do FMI, Caroline Atkinson, em uma coletiva de imprensa.

Atkinson afirmou que o FMI "vai cooperar completamente" com a investigação de Strauss-Kahn, que na semana passada renunciou ao cargo após ser preso e negar as acusações.