Strauss-Kahn muda de prisão domiciliar

 

NOVA YORK - O ex-diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI) Dominique Strauss-Kahn chegou na noite desta quarta-feira a nova residência em Manhattan onde cumprirá prisão domiciliar.

DSK se mudou do apartamento no sul de Manhattan para o bairro de Tribeca, na mesma região, e na nova "residência" será autorizado a sair para audiências judiciais, reuniões com advogados, consultas médicas e para frequentar a sinagoga.

A mudança de endereço foi autorizada hoje pelo juiz Michael Obus, após ser informado pelos promotores do caso e pelos advogados de Strauss-Kahn.

O ex-diretor do FMI cumpre prisão domiciliar desde a sexta-feira passada, quando saiu da penitenciária de Rikers Island em troca de condições estritas, entre elas o pagamento de uma fiança de um milhão de dólares em dinheiro e outros cinco milhões de dólares em garantias.

Strauss-Kahn é acusado de agressão sexual, tentativa de estupro e cárcere privado contra uma camareira de um hotel de Nova York. Se for condenado, pode pegar até 74 anos de prisão.

DSK deverá comparecer no dia 6 de junho a um Tribunal Penal de Nova York para se declarar inocente ou culpado das acusações.