Presidente sérvio anuncia prisão de Ratko Mladic

O presidente sérvio, Boris Tadic, anunciou nesta quinta-feira a prisão de Ratko Mladic, o homem mais procurado da Europa, que atuou como chefe do exército da Sérvia durante a guerra da Bósnia.

>> Conheça a história de Ratko Mladic, um dos 'senhores da guerra' da Bósnia

"Detivemos Ratko Mladic hoje (quinta-feira) de manhã. O processo de extradição está em curso", afirmou Tadic, fazendo alusão à transferência do ex-comandante para ser julgado pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) de Haia.

Mladic é acusado de genocídio por seu papel durante o conflito bósnio (1992-1995). Autoridades informaram que o homem foi detido com documentos no nome de Milorad Komadic e que sua prisão aconteceu graças a uma denúncia anônima.

O presidente sérvio afirmou que  detenção foi resultado de uma cooperação entre a Sérvia e o Tribunal de Haia. "No dia de hoje, fechamos um capítulo da história de nossa região, que nos levará a uma reconciliação completa", destacou o presidente sérvio.

Ratko Mladic é procurado desde 1995, quando foi condenado pelo genocídio de cerca de 8 mil bósnios muçulmanos na Srebrenica. Este é considerado o maior massacre da Europa desde a Segunda Guerra Mundial. O ex-comandante também foi condenado por outros crimes cometidos por suas tropas durante a guerra da Bósnia entre 1992 e 1995.

Mladic estava desaparecido desde 2000 e a necessidade de sua detenção começou a ganhar contornos bem maiores, já que a União Europeia condicionou a entrada de Belgrado no bloco à prisão do ex-comandante.

Com agências