Governo chinês agora tem medo até de jasmim

Cultivo passou a ser considerado subversivo

Não se deixe encantar pela fragrância intoxicante ou delicadeza em forma de estrela, cuja brancura sugere inocência e pureza. O jasmim, um ingrediente do chá chinês, e tema de uma célebre canção folclórica, não é mais o que parece, pelo menos na China. 

Desde que revolucionários tunisianos batizaram o sucesso da manifestação contra a ditadura presidencial deste ano de “Revolução do Jasmim”, essa flor, que é prima da oliveira, está sendo estigmatizada como agente de mudança nefasto pelos homens que mantêm o Partido Comunista chinês no poder.

Desde fevereiro, quando convocações anônimas para uma “Revolução do Jasmim” chinesa começaram a circular na internet, os caracteres chineses para a palavra “jasmim” passaram a ser bloqueados em mensagens de textos para celulares, enquanto vídeos do presidente Hu Jintao cantando “Mo Li Hua”, um canto da dinastia Qinq em homenagem à flor, está sendo retirado da internet. 

>> Leia a reportagem completa no JB Premium

* The New York Times