EUA oferecem recompensa de US$ 5 milhões por rebelde checheno

WASHINGTON - Os Estados Unidos ofereceram esta quinta-feira uma recompensa de 5 milhões de dólares a todo informante que fornecer dados sobre o paradeiro do checheno Doku Umaroz, chefe da guerrilha islâmica no Cáucaso russo, anunciou o Departamento de Estado.
Paralelamente, a secretária de Estado americana Hillary Clinton tomou medidas para limitar as transferências de fundos e qualquer outro tipo de ajuda ao "Emirado do Cáucaso", emirado islâmico que Umarov pretende instalar no sul da Rússia.
Ex-"presidente" separatista da Chechênia, Uumarov reivindicou o atentado suicida que em 24 de janeiro de 2010 matou 37 pessoas no aeroporto de Moscou-Domodedovo, assim como outras ações violentas, entre as quais dois atentados que causaram a morte de 40 pessoas no metrô de Moscou, em 23 de março de 2010.
"Estamos resolvidos a liquidar a capacidade deste grupo de levar adiante violentas ações e a desmantelar as redes de apoio do ''emirado''", informou o Departamento de Estado.