Dispersão de protesto da oposição na Geórgia deixa dois mortos

TBILISI - Duas pessoas morreram, entre elas um policial, durante a violenta dispersão de uma manifestação opositora na capital Tbilisi nesta quinta-feira, que pedia a renúncia do presidente georgiano Mikhail Saakashvili, indicou o ministério do Interior.

O batalhão de choque da polícia interveio durante a madrugada com bombas de gás lacrimogêneo, canhões de água e balas de borracha, em uma tentativa de dispersar os manifestantes.

Ainda de acordo com o ministério, um policial e um policial aposentado morreram atropelados por um veículo dirigido por manifestantes.

"Ao todo, 37 pessoas foram hospitalizadas, entre elas 28 manifestantes e nove policiais", declarou à AFP Chota Utiashvili, porta-voz do ministério.

Milhares de pessoas se reuniram na quarta-feira em frente ao Parlamento georgiano pelo quinto dia consecutivo, com o objetivo de atrapalhar o desfile militar programado para esta quinta-feira em comemoração aos 20 anos da independência do país, ex-território soviético.

As autoridades haviam advertido aos manifestantes que não tolerariam protestos depois da meia-noite de quarta-feira - quando ainda havia pelo menos 300 pessoas mobilizadas no local.