Ataque para vingar Bin Laden mata ao menos 32 pessoas no Paquistão

Um grupo talibã do Paquistão assumiu a realização de um novo atentado suicida que matou pelo menos 32 pessoas, em maioria policiais, para vingar "o martírio" de Osama Bin Laden, nesta quinta-feira, no noroeste do país.

"Era para ser um atentado com um carro-bomba contra uma delegacia, mas o carro explodiu em um posto de controle fechado", disse o vice-inspetor-geral Massud Jan Afridi.

Segundo Shahibzada Mohamad Anis, responsável administrativo do distrito, no atentado morreram 32 pessoas e 56 ficaram feridas.

"A maioria dos mortos eram policiais e seguramente serão registradas mais vítimas", disse à AFP Fazal Naim, chefe de policia da região.

A detonação deixou uma cratera de três metros de diâmetro e 2,5 metros de profundidade; especialistas estimaram que a carga de explosivos era de 450 quilos, segundo o oficial de polícia, Latif Jan.

"Assumimos a responsabilidade pelo ataque. Foi um pequeno atentado para vingarmos o martírio de Osama" Bin Laden, disse à AFP o porta-voz dos talibãs paquistaneses Ehsanulah Ehsam.

"Em breve haverá ações mais significativas. Para vingar a morte de Osama não bastam alguns pequenos atentados", afirmou o porta-voz do Movimento Talibã do Paquistão (TTP).

Os talibãs paquistaneses tinham jurado, após a morte do líder da Al-Qaeda há mais de três semanas, intensificar os ataques que já deixaram mais de 4.400 mortes em menos de quatro anos no país aliado aos EUA na "guerra contra o terrorismo".

A polícia e o exército paquistanês vinham sendo os principais alvos dos ataques da TTP desde meados de 2007, quando junto com Bin Laden, os talibãs decretaram "guerra santa" contra Islamabad e as forças de segurança.

Após o ataque americano que matou Bin Laden no dia 2 de maio no norte do país, o grupo prometeu ofensivas contra as forças de segurança do Paquistão, acusando o Islamabad e seu exército de cumplicidade.

O atentado de quinta-feira é o quinto do TTP em represália pela morte do líder da Al-Qaeda e o quarto em uma semana.

Na quarta-feira, um suicida dirigindo uma caminhonete carregada de explosivos destruiu completamente uma delegacia de três andares e matou oito policiais e um soldado em Peshawar, a principal cidade do noroeste do Paquistão.

Na segunda-feira, 23 de maio, o exército paquistanês afirmou retomar o controle de uma base militar aeronaval em Karachi, no sul do país, atacada por um grupo de terroristas suicidas, após 17 horas de combates que mataram dez militares.

Na sexta-feira, 20 de maio, um paquistanês morreu e dois americanos ficaram feridos num atentado talibã contra carros do consulado dos EUA em Peshawar.