Obama inicia sua visita de Estado ao Reino Unido

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foi recebido pela rainha Elisabeth II nesta terça-feira, na primeira etapa de sua visita de Estado ao Reino Unido, que já contou com um encontro com o príncipe William e sua esposa, Catherine.

A rainha britânica e seu marido, o príncipe Philip, duque de Edimburgo, receberam o presidente americano e a primeira dama, Michelle, no palácio de Buckinham, onde ficarão hospedados.

Obama e Michelle mantém uma relação amistosa com a rainha desde que a conheceram, em abril de 2009, três meses depois da chegada do casal à Casa Branca e foram recebidos informalmente este mesmo ano no Palácio de Buckinham, juntamente de suas duas filhas, Sasha e Malia.

"Há uma cordialidade genuina - e realmente a sinto - entre as duas famílias, declarou um porta-voz do palácio.

Na tradicional troca de presentes, a rainha ofereceu a Obama cópias da correspondência mantidas pela rainha Victória (1837-1901) com os sucessivos presidentes americanos e deu a Michelle um broche de ouro.

Em troca, o presidente americano lhe entregou um álbum com fotos e outras recordações da visita feita aos Estados Unidos pelos pais de Elisabeth, o rei Jorge VI e a "Rainha Mãe" em 1939, assim como vários objetos relacionados com a equitação, uma das paixões dos Windsor.

O único episódio que manchou este início de visita foram as notícias vindas dos Estados Unidos sobre a devastação provocada por tornados, que deixaram mais de 100 mortos. Obama anunciou que visitará no domingo a zona mais afetada, em Joplin (Misuri).

Nesta jornada inaugural, essencialmente protocolar, Obama depositou também uma oferenda de flores na Tumba do Soldado Desconhecido, na Abadia de Westminster.

Pela noite, os visitantes deveriam comparecer a um banquete oferecido em sua homenagem no palácio, com outros 170 convidados.

O resto da estada será permeado por encontros políticos e estará basicamente dominada por conversações entre Obama e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, com quem Obama se reunrá na quarta-feira.

Em uma coluna publicada nesta terça-feira no jornal diário The Times, Obama e Cameron alertaram o mundo árabe a mobilizar-se contra os regimes autoritários e repressivos e se comprometeram a dar respalado a suas aspirações democráticas.

"Respaldaremos aos que querem iluminar a obscuridade, aos que buscam a liberdade em lugar da repressão e aos que pedem pelos fundamentos da democracia", escreveram eles a dois dias da abertura de uma reunião da cúpula do G8 sobre este tema.

Os dois presidentes se comprometeram também a reforçar a relação especial que mantém os dois países, tida por ambos como "essencial".

Após desfrutar de um churrasco nos jardins de Downing Street, Obama discursará na quarta-feira na Câmara do Parlamento Britânico, uma honra que foi conferida anteriormente apenas a três estrangeiros: o ex-presidente francês, Charles de Gaulle, o ex-presidente sul-africano, Nelson Mandela, e o papa Bento XVI.