Parlamento paquistanês exige fim dos ataques americanos

 

ISLAMABAD - O Parlamento do Paquistão exigiu neste sábado o fim dos ataques com aviões sem piloto dos Estados Unidos contra membros da Al-Qaeda e do Talibã no território paquistanês, e defendeu a criação de uma comissão independente para investigar a operação americana que matou Osama Bin Laden.

Em resolução aprovada após dez horas de debates, o Parlamento qualificou de "inaceitáveis" os ataques com drones (aviões teleguiados que disparam mísseis) dos Estados Unidos.

"Estes ataques com aviões não tripulados devem parar (...). Do contrário, o governo precisa considerar as medidas necessárias, incluindo a permissão de trânsito da Otan".

O Parlamento também pediu ao governo que "nomeie uma comissão independente sobre a operação de Abbottabad", cidade paquistanesa onde um comando americano matou Bin Laden no dia 2 de maio passado.

Lançada em 2004, a campanha de ataques com drones da CIA foi intensificada em meados de 2008 e nos últimos meses realiza bombardeios quase diários contra o território paquistanês.

Em 2010, mais de 100 ataques deixaram 670 mortos, incluindo vários civis.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro paquistanês, Yusuf Raza Gilani, disse que os ataques dos aviões não tripulados dos Estados Unidos deveriam ser colocados sob a supervisão de Islamabad.