Forças de segurança matam 19 pessoas nas regiões de Deraa e Homs

Dezenove civis, incluindo uma criança de oito anos, foram mortos nesta quarta-feira nas regiões de Deraa (sul) e Homs (centro), focos da onda de contestação ao regime sírio, declarou nesta quarta-feira à AFP o presidente da Organização Nacional dos Direitos Humanos, Ammar Qurabi.

Segundo esse opositor sírio consultado pela AFP por telefone a partir de Nicósia, "13 pessoas, incluindo uma criança de 8 anos, foram mortas por tiros disparados por franco-atiradores em Al-Harra, cidade do oeste da região de Deraa". Entre os mortos também há um enfermeiro que tentava socorrer os feridos, acrescentou.

Uma outra pessoa morreu na localidade vizinha de Khassem, segundo o militante.

As forças de segurança também efetuaram ataques nas cidades de Al-Harra e Enkhel, de acordo com a mesma fonte.

Em Homs, cinco pessoas foram mortas por disparos de tanques no setor de Bab Amr, acrescentou.

Uma ONG havia indicado anteriormente nove mortos em Homs pelas forças de segurança, enquanto as autoridades sírias anunciavam a morte de dois soldados e de "vários integrantes de grupos terroristas" nas regiões de Homs e Deraa.