Prisão preventiva de filhos de Mubarak é prolongada

A justiça egípcia prolongou por outros 15 dias a prisão preventiva de Gamal e Alaa Mubarak, filhos do presidente deposto Hosni Mubarak, devido à investigação por corrupção que está em andamento, informaram fontes judiciais.

Alaa e Gamal Mubarak foram detidos no dia 13 de abril acusados de corrupção e da repressão das manifestações contra o regime em janeiro, que deixaram 846 mortos, de acordo com um balanço oficial.

"O Ministério Público ordenou que seja prolongada a prisão de Alaa e de Gamal em 15 dias", segundo esta fonte.

Alaa e Gamal Mubarak encontram-se na prisão de Tora, no Cairo. Antes da revolta que provocou a renúncia do presidente, Gamal era considerado o sucessor designado de seu pai.

Por sua vez, Hosni Mubarak encontra-se detido no hospital civil de Sharm el Seij, no Sinai, balneário no Mar Vermelho onde esteve em prisão domiciliar desde sua renúncia, no dia 11 de fevereiro.

Mubarak foi internado neste hospital no dia 12 de fevereiro, após um problema cardíaco ocorrido durante um interrogatório.