Ex-presidente paquistanês denuncia violação da soberania pelos EUA

Pervez Musharraf criticou operação armada que matou Osama bin Laden

DUBAI - O ex-presidente paquistanês Pervez Musharraf criticou neste sábado, citado por um jornal dos Emirados Árabes Unidos, a operação americana que matou o terrorista Osama bin Laden, afirmando que os Estados Unidos violaram a soberania de seu país.

Falando para representantes da comunidade paquistanesa em Dubai, Musharraf disse que "os amantes da paz" deveriam estar felizes com a eliminação de Bin Laden, mas nenhum paquistanês pode aceitar a violação da soberania de sua nação.

"Nenhum país aceitaria tal violação por parte dos Estados Unidos, que mina a soberania do Paquistão, seu exército e seus serviços secretos", declarou o ex-presidente, citado pelo The National. "Isso é inaceitável para qualquer paquistanês", insistiu.

Musharraf, entretanto, destacou que o Paquistão e os Estados Unidos precisam continuar trabalhando juntos para erradicar o terrorismo. "Já há algum tempo, as relações entre o Paquistão e os Estados Unidos não estão boas, mas para vencer a Al-Qaeda e os talibãs, que para nós são a maior ameaça, estas relação não podem se transformar em confronto", estimou.

Na sexta-feira, Pervez Musharraf já mencionara "a incompetência" dos serviços secretos paquistaneses para explicar a prolongada fuga do líder da Al-Qaeda.