FBI analisa cartas com pó branco recebidas por 34 escolas em Washington

WASHINGTON  - O FBI analisa 39 cartas recebidas por 34 escolas em Washington DC que continham pó branco, a princípio inofensivo, indicou nesta sexta-feira a polícia federal americana.

As cartas mobilizaram a polícia durante 10 horas na quinta-feira, tempo que os agentes dedicaram a visitar uma a uma 28 instituições, detalhou o FBI em comunicado. Algumas escolas foram evacuadas.

Nesta sexta-feira, a polícia visitou seis estabelecimentos para recolher outros dez envelopes, informou à AFP Andrew Ames, um porta-voz do FBI. Mais quatro cartas de características semelhantes foram interceptadas por funcionários dos correios.

"Nenhuma substância perigosa foi encontrada nos envelopes", assegurou o FBI.

As cartas foram enviadas pelo correio de Dallas (Texas, sul) e "os primeiros elementos da investigação mostram que se assemelham a outras cartas suspeitas que estão sendo analisadas atualmente pelo FBI em Dallas".

"Também são similares a outras enviadas a escolas em Washington em outubro de 2010", acrescentou o FBI.

A polícia federal sustentou que as cartas foram enviadas às instituições e não a alguma pessoa em particular, mas se absteve de dizer se continham alguma mensagem.

A rede de televisão local Fox 5 informou, na quinta-feira, que o teor das cartas fazia referência à Al-Qaeda, poucos dias após a morte de Osama Bin Laden em uma operação de um comando americano no Paquistão, mas não continham nenhuma ameaça específica. A mesma fonte afirmou que o pó poderia ser maizena.

A presença de pó branco em cartas relembrou nos Estados Unidos o caso das correspondências envenenadas com Antrax, que deixaram cinco mortos e 17 feridos em 2001 e provocaram pânico após os atentados de 11 de setembro.

O autor destes envios, Bruce Ivins, um cientista do governo americano, foi detido e se suicidou pouco antes de ser ouvido pela Justiça.