Exumação dos restos de Allende será feita em 23 de maio

A exumação dos restos do ex-presidente chileno Salvador Allende será realizada no dia 23 de maio para esclarecer se se suicidou, como indica a versão oficial, ou foi executado durante o golpe de Estado que o derrubou em 1973, informou o juiz encarregado do processo.

"Marcamos hoje (sexta-feira) a data de 23 de maio. O horário não foi estabelecido, porque depende muito das pessoas que vão participar" do exame, disse à AFP o juiz Mario Carroza.

O magistrado não forneceu maiores detalhes da exumação, mas adiantou que "tudo será revelado ao público, como deve ser".

As perícias ficarão a cargo do Serviço Médico Legal do Chile e serão realizadas depois que em 15 de abril a justiça teve acesso a um pedido da família do mandatário para exumar seus restos.

Salvador Allende morreu aos 65 anos durante o golpe militar que instaurou a ditadura de Augusto Pinochet, no dia 11 de setembro de 1973.

A exumação de seus restos busca determinar as causas de sua morte, até agora atribuídas a um suicídio com um tiro de fuzil, que havia recebido do ex-presidente cubano Fidel Castro.

Sua família continua sustentando a tese de suicídio, mas considera necessário esclarecer as circunstâncias em que ocorreu a morte de Allende, que estava dentro do palácio presidencial bombardeado por terra e ar pelas forças golpistas.

"Há um nível de informação bastante substancial que no momento oportuno será divulgada ao público e cada um poderá formar sua opinião", disse a advogada da família, Pamela Pereira.

A tese de suicídio se sustenta no testemunho do médico Patricio Guijón, que viu o corpo minutos depois de sua morte e no fato de Allende ter advertido que estava disposto a morrer a se render às forças militares.

Allende é considerado o primeiro e único marxista a chegar ao poder no Chile pelas urnas, no dia 3 de novembro de 1970, e permaneceu no comando de seu país por 1.000 dias, antes de ser derrubado por Pinochet, que se ficou 17 anos no poder.