Centenas de pessoas se manifestam no Paquistão para homenagear Bin Laden

QUETTA, Paquistão - Centenas de pessoas saíram em passeata nesta sexta-feira pelas ruas da cidade de Quetta, no sul do Paquistão, para fazer uma homenagem ao chefe da Al-Qaeda, Osama bin Laden, morto pelos Estados Unidos, e para convocar uma guerra santa contra os americanos.

A manifestação foi organizada pelo Jamiat Ulema e Islam (JUI), partido político ideologicamente ligado aos talibãs em Kuchlak, subúrbio de Quetta, onde a multidão gritava "Vida longa a Osama". Uma bandeira americana foi queimada.

"Os serviços prestados por Osama aos muçulmanos serão para sempre lembrados", disse Abdul Qaidr Loone, jovem líder do JUI, em um discurso.

Hafiz Fazal Bareach, ex-senador e alto dirigente do JUI, afirmou que, ao matarem Bin Laden, os Estados Unidos criaram milhares de outros à sua imagem e semelhança. "Um Osama se transformou em mártir, e agora nascerão milhares de Osamas, porque ele criou um movimento contra as forças antimuçulmanas que não depende de personalidades", declarou, acrescentando que a "jihad (guerra santa) continuará contra os Estados Unidos e seus aliados".

Maior partido político religioso do Paquistão, o Jamaat e Islam convocou manifestações em todo o país nesta sexta-feira para denunciar a operação de um comando de elite americano que matou Bin Laden na cidade paquistanesa de Abbottabad no começo da semana.