SIP estaria 'consternada' com assassinato de jornalistas

 

MIAMI - A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) manifestou nesta quinta-feira a sua consternação com o assassinato de dois jornalistas no Brasil e no Peru e pediu que as autoridades de ambos os países investiguem e esclareçam os crimes. Os jornalistas foram assassinados na terça-feira no Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, relembrou a instituição.

"Estamos consternados com esses novos crimes que nos afligem e comovem", disse o presidente da SIP, Gonzalo Marroquín.

Valério Nascimento, proprietário e diretor do jornal Panorama Geral, de Rio Claro, estado do Rio de Janeiro, foi assassinado a tiros em frente a sua casa.

Nos últimos dias, Valério tinha denunciado em seu jornal irregularidades que teriam o envolvimento do prefeito da cidade vizinha de Bananal, indicou a SIP, citando o jornal carioca O Globo.

No Peru, o radialista Julio César Castillo Narváez, de 41 anos, da rede Ollantay, foi morto por homens armados enquanto almoçava em um restaurante em Virú, noroeste do país, disse a polícia.

Castillo Narváez tinha sido ameaçado depois de difundir uma mensagem de áudio que revelaria a suposta participação de um funcionário do governo local em esquemas de corrupção, segundo a Associação Nacional de Jornalistas do Peru.