Centenas de pessoas visitam diariamente a casa em que Bin Laden foi morto

ISLAMABAD - Centenas de pessoas se aproximam todos os dias da casa de Osama Bin Laden na cidade paquistanesa de Abbottabad, que pode se tornar um santuário para os partidários do líder da Al-Qaeda ou ainda ser destruída pelas autoridades.

Após matá-lo, os americanos lançaram no mar o corpo de seu inimigo para evitar que o túmulo do terrorista se convertesse em um santuário, mas a casa na qual Bin Laden viveu e morreu parece provocar uma fascinação cada vez maior. "Tornou-se um monumento", estima Mohamed Fayaz, de 32 anos, um morador da região.

Mostrando uma foto da já famosa residência na capa de um jornal local, Fayaz disse ter medo de que comecem a ocorrer atentados na que foi considerada uma das cidades paquistanesas mais tranquilas.

"O mundo inteiro virá vê-la", acrescenta. "É potencialmente perigoso para nós porque pode acontecer qualquer coisa", afirma.

A casa branca de três andares, rodeada por muros de cimento de mais de quatro metros de altura e cercas de arame farpado, tornou-se um "ponto de referência histórico" do site Google Maps.

"Não se vê a rua, mas você ficará encantado com o isolamento e os quartos de hotel decorados com 'temas terroristas'", brinca o autor de uma falsa resenha turística do local no site.

Fora da residência há uma multidão que visita o local, que parece unir muitas pessoas que duvidam da versão oficial da morte de Bin Laden.

Mulheres com roupas coloridas típicas do Paquistão, algumas delas provenientes de bairros ricos da região, se misturam com crianças que jogam e brincam. "Osama, o que está acontecendo?", perguntam algumas delas aos transeuntes com barba. No entanto, as autoridades parecem levar muito a sério o que está acontecendo na casa.

"Cada vez vem mais gente", afirma Mohamad Saleem, um alto oficial de polícia, à AFP. "Não há maneira de saber quem é partidário de Osama e quem não é", lamenta, embora esclareça que até agora não houve incidentes.

Nesta quinta-feira, militares e policiais deixaram de tentar afastar as pessoas da casa, como fizeram nos dias anteriores. As forças armadas não comentaram sobre o futuro do reduto de Bin Laden, mas os militares que lutam contra os talibãs e a Al-Qaeda nas zonas tribais costumam destruir as casas de seus membros.

Além disso, a residência está localizada a menos de dois quilômetros da Academia Militar, o que torna provável que as forças armadas não queiram deixar a residência de Bin Laden em seu estado atual.

Efetivamente, após afirmar em várias oportunidades que não sabiam que Bin Laden vivia debaixo de seus narizes, a casa poderia se tornar uma humilhação permanente para os militares paquistaneses.

Um líder local, Zaheer ul Islam, estima que as autoridades não impedirão a chegada de visitantes, já que "quanto mais se proíbe algo, mais pessoas tentam fazê-lo".

"Nunca se tornará um local muito visitado porque os partidários de Osama sabem que é uma região muito sensível e que os militares não permitirão isto", acrescenta.

"Há quem diga que deveria ser fechada para sempre, outras que deveria ser demolida. Para mim, poderia ser transformada em uma escola", considera Ghylam Abas, chefe de polícia da região.