Suprema Corte dos Estados Unidos rejeita apelação de chineses Uigures em Guantánamo

A Suprema Corte dos Estados Unidos rejeitou nesta segunda-feira a apelação de cinco chineses do grupo étnico dos Uigures que protestam por sua detenção em Guantánamo, onde encontram-se presos por tempo indeterminado apesar de terem sido absolvidos de qualquer crime.

Os prisioneiros foram parte de um grupo de 21 homens pertencentes à minoria muçulmana dos Uigures, que chegaram ao Afeganistão no fim de 2001 e foram absolvidos de qualquer acusação relacionada ao terrorismo pelos governos dos presidentes americanos George Bush e Barack Obama.

"Os prisioneiros receberam duas ofertas de reassentamento em países (entre eles Palau) que os Estados Unidos consideram "apropriados", mas sabe-se que os cinco detidos se negaram a ser enviados a Palau, informou a Corte em um breve comunicado.

"Estas ofertas, a falta de qualquer desafio significativo quanto à sua adequação e o compromisso incontestável do governo de continuar a trabalhar para reassentar os peticionários transformam" os apelos dos peticionários.