Comissão Europeia promete 110 milhões de euros para novo sarcófago de Chernobyl

A Comissão Europeia anunciou nesta segunda-feira que vai fornecer à Ucrânia 110 milhões de euros (156 milhões de dólares) para ajudar na construção de um novo sarcófago para isolar a usina nuclear de Chernobyl.

"Amanhã, em nome da Comissão Europeia, anunciarei na conferência de doadores um compromisso adicional da UE de cerca de 110 milhões de euros", afirmou o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, na capital ucraniana.

Barroso está em Kiev para uma conferência de doadores que começa na terça-feira e que terá como objetivo angariar 740 milhões de euros para ajudar a Ucrânia a cobrir os custos da substituição de um sarcófago de concreto, construído para deixar confinado o reator de Chernobyl, que explodiu em 1986, no pior desastre nuclear do mundo.

O sarcófago original está rachado e instável, e a conferência está sendo realizada quando a Ucrânia lembra o 25º aniversário do desastre neste mês.

"Estou confiante de que os eventos de amanhã trarão os resultados desejados, principalmente na obtenção de fundos necessários para completar o trabalho de segurança em Chernobyl", disse Barroso, durante uma coletiva de imprensa junto com o presidente ucraniano, Viktor Yanukovich.

"Superar uma tragédia de tal dimensão não pode ser apenas trabalho da Ucrânia. O incidente no Japão confirmou novamente que tais eventos são um desafio para toda a humanidade", disse Yanukovich.

Uma declaração separada da UE disse que o dinheiro vai ajudar a "garantir que a região de Chernobyl esteja estável e ambientalmente segura".

Ele será canalizado para a "segurança nuclear, mas também em programas para ajudar a população local e proporcionar às famílias afetadas o acesso a serviços de saúde de qualidade", disse o comunicado.

O quarto reator de uma usina na cidade ucraniana de Chernobyl, cerca de 100 km ao norte de Kiev, explodiu em abril de 1986 contaminando uma parte da Europa, com Ucrânia, Bielorússia e Rússia sendo as regiões mais afetadas.

Um consórcio formado pelas empresas de construção francesas Bouygues e Vinci ganhou uma licitação em 2007 para a construção do novo sarcófago, financiado por uma fundação internacional. O trabalho no projeto começou no ano passado e deve ser concluído até 2015.

A estrutura arqueada de 108 metros de altura, pesando 20.000 toneladas, será instalada perto do reator e, em seguida, deslizará nos trilhos sobre o sarcófago existente.