Ativistas exigem renúncia de republicana que chamou Obama de macaco

Vários ativistas contra a discriminação exigiram nesta segunda-feira a renúncia da dirigente republicana do condado de Orange, no sul da Califórnia, que enviou um e-mail com uma fotomontagem retratando o presidente Barack Obama como filho de um casal de macacos.

Alice Huffman, presidente da Associação Nacional para o Progresso das Pessoas de Cor na Califórnia (NAACP) condenou a foto reproduzida pela imprensa local e exigiu a demissão de Marilyn Davenport, membro do Comitê do Partido Republicano de Orange.

Davenport, militante do movimento conservador Tea Party, enviou um e-mail a seus companheiros sob o título: "agora sabemos porque não tem certidão de nascimento", em referência à denúncia da extrema direita de que Obama não nasceu nos Estados Unidos.

"Não há como uma representação do presidente dos Estados Unidos como esta ser considerada outra coisa que um ato racista", destaca a NAACP em um comunicado.

"Se ela não renunciar, vamos convocar o Comitê de Ética do Condado de Orange para analisar suas ações", advertiu Huffman.

O presidente do comitê republicano do condado de Orange, Scott Baugh, condenou o e-mail de sua colega, que considerou racista, e prometeu uma reunião para discutir ações contra Davenport.

A dirigente republicana minimizou a situação: "Não é preciso fazer um escândalo com isto, por favor. Todo mundo que me conhece sabe que não sou racista, foi uma brincadeira. Tenho amigos negros".