Seis rebeldes das Farc morrem em bombardeio

BOGOTÁ -Seis guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) morreram em um bombardeio no noroeste do país, e outro, acusado por um atentado com explosivos em 2003, foi capturado no sul, informaram neste domingo fontes oficiais.

O ministro da Defesa, Rodrigo Rivera, informou em uma coletiva de imprensa que "foi dado um golpe certeiro em um acampamento do Frente 57 das Farc, uma espécie de escola de formação, no departamento de Chocó (noroeste)".

De acordo com ele, em uma operação conjunta com forças especiais "Junglas" (Selva) da polícia, aeronaves da Força Aérea Colombiana (FAC) bombardearam o acampamento, localizado na zona rural de Riosucio (Chocó).

A ofensiva deixou seis rebeldes mortos, entre eles uma mulher conhecida como "Gloria", acusada de atuar como ideóloga da facção do grupo insurgente.

No acampamento, a polícia achou grande quantidade de armas e elementos de propagamente. Um menor de idade também foi encontrado, e foi entregue às autoridades de proteção.

Em uma outra operação, realizada na zona rural de San Vicente del Caguán, no departamento de Caquetá (sul), foi capturado Aldemar Soto (conhecido como ''o engenheiro''), que militava há 25 anos nas Farc.

Soto é acusado de ativar uma "casa bomba" no dia 14 de fevereiro de 2003 nos arredores do aeroporto da cidade de Neiva (sudoeste), com a qual pretendia atentar contra o então presidente Alvaro Uribe (2002-2010).

Segundo o Exército, por este crime o insurgente foi condenado à revelia a 30 anos de prisão.