Chávez relançará proposta de missão de paz na Líbia a pedido de Ahmadinejad

CARACAS - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, anunciou neste domingo que relançará sua proposta de uma missão de paz que medie o conflito líbio a pedido do presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad, que expressou sua preocupação pela violência no país norte-africano.

Em uma conversa por telefone, "Ahmadinejad me propôs que reativássemos a ''proposta Chávez'' (...) Acredito que já é tempo de retomá-la", explicou o presidente durante um ato público.

Chávez, principal aliado do líder líbio Muamar Kadhafi na América Latina, se opôs à intervenção armada estrangeira na Líbia e apostou há várias semanas pelo envio de uma comissão internacional de paz que mediasse este conflito externo.

Mas sua proposta teve uma pequena repercussão internacional, embora tenha recebido a aprovação do regime de Trípoli.

O presidente venezuelano explicou que seu governo lançará novos esforços para buscar o apoio de outros países e fez um "chamado aos governos pacifistas" para que se unam a esta iniciativa.

"Então vamos trabalhar duro para fazer contatos com outros presidentes, países e tentar formar uma comissão maior (...) para ver se podemos parar com esta loucura", disse o presidente, referindo-se aos bombardeios estrangeiros.

Segundo Chávez, a intervenção estrangeira na Líbia, iniciada em março, tem como objetivo "apoderar-se de seu petróleo".

Segundo a Otan, os bombardeios na Líbia pretendem proteger a população civil e conseguir que Kadhafi, no poder desde 1969, deixe seu cargo. Até o momento, Kadhafi nega-se a renunciar e segue combatendo os rebeldes que se opõem ao regime.