EUA pedem atos e não palavras depois de receber carta de Kadafi

WASHINGTON  - Depois de receber uma carta de Muamar Kadafi, a Casa Branca afirmou nesta quarta-feira que o líder líbio será julgado não por suas palavras e, sim, por seus atos, em particular se cessar com a violência contra os civis.

"Podemos confirmar que existe uma carta, obviamente não é a primeira", afirmou o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, aos jornalistas a bordo do avião Air Force One, que levava o presidente Barack Obama a um evento na Filadélfia.

Obama deixou claro há várias semanas que um cessar-fogo na Líbia dependerá de "atos e não palavras", acrescentou Carney. "Falar é diferente de atuar", enfatizou.

Kadafi enviou nesta quarta-feira uma mensagem ao presidente americano, dois dias depois de Washington ter retirado os aviões de combate da campanha internacional na Líbia, informou a agência oficial Jana, que não revela detalhes sobre o conteúdo da mensagem.

O Exército americano retirou na segunda-feira os aviões de combate mobilizados na campanha internacional na Líbia. O país pretende fornecer apenas aviões de abastecimento em voo e efetuar missões de interceptação e vigilância.