Al-Qaeda recupera força no leste do Afeganistão

WASHINGTON - Os combatentes da Al-Qaeda estão retornando progressivamente à zona leste do Afeganistão para aproveitar a retirada das tropas americanas da região, indica nesta quarta-feira (6) o jornal The Wall Street Journal.

O diário, que cita fontes americanas, afegãs e talibãs, assegura que este retorno da Al-Qaeda à região preocupa e decepciona as autoridades dos Estados Unidos, que viram a organização islamita radical seriamente enfraquecida.

Em setembro, os Estados Unidos bombardearam um campo de treinamento da Al-Qaeda no Vale de Korengal, causando a morte a dois de seus principais chefes, um saudita e um kuwaitiano, disseram ao jornal fontes da coalizão liderada pela Otan.

O jornal também indicou a morte de um dos militantes mais procurados da Arábia Saudita nesse ataque com caças americanos.

Esse bombardeio mostra o ressurgimento da Al-Qaeda no Afeganistão, algo que vem ocorrendo nos últimos seis ou oito meses, coincidindo com a retirada das tropas americanas de pontos remotos do leste do país que pareciam estrategicamente irrelevantes.

Os oficiais americanos esperavam que os talibãs deixassem essas áreas para enfrentar a coalizão em outros locais, mas não fizeram isso, disse um comandante militar ao diário, e a "Al-Qaeda está voltando".