Repressão policial deixa um morto no sul do Iêmen

SANAA - Um manifestante morreu neste domingo na repressão policial a um protesto que exigia a renúncia do presidente iemenita, Ali Abdullah Saleh, em Taez, ao sul de Sanaa, informaram testemunhas.

O jovem foi ferido no peito quando rasgava uma foto do chefe de Estado.

A polícia abriu fogo e lançou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes que tentavam se aproximar da sede do governo da cidade.

Pelo menos 250 pessoas foram feridas por tiros ou intoxicadas pelas bombas de gás lacrimogêneo.

Milhares de manifestantes acampam desde fevereiro no centro da cidade para exigir, assim como acontece em Sanaa e Aden, a queda do regime de Saleh, que está há 32 anos no poder.

No sul do país, um soldado morreu em um ataque de militantes do Movimento Sulista, que luta contra o poder central nesta região do país, que foi um Estado independente até 1990. Este movimento se uniu à oposição que exige a queda Abdullah Saleh.