Hillary Clinton condena atentado na Irlanda do Norte

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, condenou neste sábado o assassinato de um policial católico na Irlanda do Norte em um atentado classificado por ela o fato de "ato covarde".

"Aqueles que praticaram este ato covarde representam as falhas do passado, e suas ações vão de encontro às conquistas, aspirações e à vontade coletiva do povo da Irlanda do Norte", ressaltou Hillary em um comunicado.

Ronan Kerr, um policial católico de 25 anos, morreu neste sábado na explosão de seu carro, no qual haviam escondido uma bomba, diante de sua casa em Omagh, cem quilômetros a oeste de Belfast, na Irlanda do Norte, indicou a polícia.

Até o momento, nenhum grupo reivindicou a autoria do atentado. Políticos ressaltam que os republicanos dissidentes se opõem ao processo de paz.

"Nossos pensamentos estão com a família deste jovem que perdeu a vida devido a sua decisão de servir a toda a comunidade", ressaltou Hillary.

"Nos juntamos às inequívocas condenações dos políticos da Irlanda do Norte e pedimos a qualquer um que possua informação que coopere totalmente com a Polícia da Irlanda do Norte", acrescentou.

O ex-presidente Bill Clinton, marido da atual secretária de Estado, participou das negociações que levaram ao acordo de paz em 1998.