Mortos em ataque a ONU no Afeganistão podem chegar a 20

Segundo disseram autoridades da ONU nesta sexta-feira, o número de mortos em um ataque a um complexo da Organização das Nações Unidas (ONU) na cidade afegã de Mazar-i-Sharif, norte do país, pode chegar a 20.

Funcionários locais e internacionais, seguranças da ONU e soldados hindus do Nepal contratados para proteger o local estão entre os mortos, afirmaram autoridades da ONU, sob condição de anonimato.

Um porta-voz policial local disse que as mortes aconteceram depois que uma manifestação contra a queima de exemplares do Alcorão por um pregador norte-americano terminou em violência.

Cerca de mil manifestantes lotaram as ruas da normalmente pacata cidade após as orações de sexta-feira, e depois de duas ou três horas de protesto, a violência começou. Um pequeno grupo atacou o escritório da ONU, atirando pedras e escalando barreiras para tentar invadir o local.

Uma fonte policial, que recusou-se a ser identificada porque não tem autorização para falar com a imprensa, disse que os manifestantes atacaram as vítimas dentro do complexo da ONU. O chefe da missão na cidade ficou ferido, mas sobreviveu. Entre os mortos estão funcionários noruegueses, romenos e suecos, acrescentou o policial.

Com AFP