Dez funcionários da ONU são mortos em um ataque no Afeganistão

CABUL - Dez pessoas morreram nesta sexta-feira quando alguns manifestantes atacaram a sede da ONU em Mazar-i-Sharif (norte do Afeganistão), em protesto contra a recente queima de um Corão nos Estados Unidos, anunciou a polícia à AFP. A ONU confirmou que houve mortos no ataque.

"Os manifestantes mataram dez funcionários da ONU. Todos os mortos são estrangeiros", declarou à AFP Lal Mohammad Ahamdzai, um porta-voz da polícia de Mazar-i-Sharif, grande cidade do norte do país.

O porta-voz da Missão da ONU no Afeganistão (UNAMA) em Cabul, Don McNorton, disse à AFP que estava a par de um incidente no escritório de Mazar e que estavam verificando os fatos.

Na noite de domingo passado, um pastor evangélico americano queimou um exemplar do Corão no interior de sua igreja em Gainesville, Flórida, uma atitude da qual tinha desistido há meses ante as reações do mundo muçulmano.

O pastor Terry Jones celebrou um "julgamento" no interior de sua igreja no qual o livro sagrado dos muçulmanos foi declarado "culpado" de vários delitos, entre eles, assassinato, depois do que executou a condenação: queimou o exemplar.