Centenas de rebeldes se lançam do leste da Líbia contra tropas de Kadafi

Centenas de rebeldes armados com Kalashnikovs, baterias antiaéreas e canhões lançaram na tarde desta sexta-feira um sangrendo ataque do leste da Líbia contra Ras Lanuf (a 650 km de Trípoli), reduto das tropas do regime de Muamar Kadafi.

O ataque - que segundo fontes rebeldes terminou com a tomada de controle deste porto petroleiro, o que em seguida foi desmentido pelo governo - deixou "vários mortos e feridos", segundo declarações à AFP de fontes médicas nos hospitais de Ajdabiya e Brega (respectivamente, a 850 e 770 km a leste da capital).

Ras Lanuf, considerada a base petroleira da Líbia, juntamente com Brega, está a 130 km desta cidade.

Segundo um repórter da AFP, foram ouvidos disparos de artilharia pesada 10 km ao leste de Ras Lanuf.

As forças pró-Kadafi lançaram mísseis e mobilizaram um helicóptero, segundo o testemunho de um combatente rebelde, identificado apenas como Marai.

À noite, não se sabia com precisão quanto terreno as forças de oposição haviam conseguido capturar e circulavam inclusive versões de que os rebeldes se retiraram para Uqayla, povoado situado a 50km de Ras Lanuf.

Desde a manhã, caminhonetes cheias de combatentes e voluntários avançavam pela estrada de Ajdabiya na direção oeste, rumo a Brega e Ras Lanuf, constatou a AFP.

"Tem havido muitos carros vindos de Tobruk nos últimos dias. Viajo com três amigos. Não temos armas, mas esperamos que nos deem em Brega", disse à AFP Mohammed, um bancário de 35 anos procedente desta cidade próxima da fronteira com o Egito.

Depois do meio-dia, o trânsito ficou mais intenso. As caminhonetes eram contadas às dezenas e também foram vistos carros particulares com homens armados, táxis e alguns caminhões.

"Vamos, vamos, Líbia livre, Líbia livre!", gritava a multidão na passagem de cada veículo no posto de controle na saída oeste de Ajdabiya, onde se reuniram umas duzenas pessoas, enquanto os rebeldes atiravam para o alto em comemoração.

O clima era de euforia e excitação e os rebeldes comemoravam de antemão a suposta tomada de Ras Lanuf.

"Há três horas houve combates por Ras Lanuf. E agora Ras Lanuf está limpa", dizia Idris Abhil El Magreby, supervisor deste "checkpoint".

Mais prudente, outro combatente, Yunis, assegurava que foram registrados intensos combates na região.

Em meio à euforia reinante, as forças que respondem à oposição a Kadafi decidiram, ainda, transportar para o leste munições armazenadas em uma construção junto dos arcos que marcam a saída de Ajdabiya.

"Parte das munições que estavam aqui está sendo levada para o quartel de Ajdabiya e dali será transportada para o leste", disse Abdul Salá, outro membro da rebelião.

Pouco depois das 18H00 locais (14h de Brasília), várias ambulâncias voltaram a Ajdabiya, procedentes do oeste, com vítimas dos violentos combates.

Dois corpos foram levados ao necrotério do hospital desta cidade e pelo menos uma dezena de pessoas deu entrada com ferimentos de bala, constatou a AFP.

Os moradores de Ajdabiya se aglomeravam na porta do hospital, fazendo críticas duras a Kadafi.

"Viram, viram? Isto é o que estamos vivendo nos últimos 42 anos", dizia Yusef, junto das grades.

As forças de Kadafi lançaram na quarta-feira, sem sucesso, uma contra-ofensiva terrestre e aérea de Ras Lanuf contra Brega, que deixou uma dúzia de mortos.

Na quinta-feira foi registrado um ataque aéreo contra Brega e na manhã de sexta-feira, outro contra uma base militar perto de Ajdabiya.