Quinze mortos em atentado e emboscada no Paquistão

ISLAMABAD - Quinze pessoas morreram nesta quinta-feira em um atentado com carro-bomba e em uma emboscada, que tinham como alvos a polícia, no noroeste do Paquistão, uma região abalada por uma onda de ataques dos talibãs aliados da Al-Qaeda.

No primeiro ataque, um terrorista a bordo de um carro-bomba detonou uma carga de 300 quilos de explosivos em um bairro de muito movimento no momento em que uma viatura policial se aproximava, informou o oficial da policia Abdul Rasheed.

"O terrorista detonou o carro quando uma viatura da polícia se aproximou do veículo para um controle de segurança na cidade de Hangu", declarou à AFP Rasheed.

"Nove pessoas, incluindo três policiais, morreram e 31 ficaram feridas no ataque, cujo alvo era a polícia. Entre os feridos há 12 mulheres e quatro crianças", completou.

O primeiro-ministro Yusuf Raza Gilani condenou o atentado, que chamou de "ato desumano".

Mais tarde, seis policiais morreram quando o veículo em que estavam foi metralhado em um emboscada no distrito tribal de Jyber, 30 km ao norte de Hangu.

Em 2007, Osama Bin Laden e o Movimento dos Talibãs do Paquistão (TTP) declararam "guerra santa" a Islamabad por seu apoio a Washington desde o fim de 2001 na "guerra contra o terrorismo".

Desde então, mais de 4.000 pessoas no Paquistão em ataques suicidas ou atentados, atribuídos aos talibãs e a seus aliados vinculados à Al-Qaeda.