Avós da Praça de Maio recebem prêmio Unesco de busca pela paz

A Unesco anunciou nesta quinta-feira a concessão à ONG argentina Avós da Praça de Maio, o prêmio 2010 Félix Houphouët-Boigny, por seu "combate infatigável à opressão, injustiça e impunidade".

O júri do prêmio foi presidido pelo ex-chefe de governo português Mario Soares.

A Associação das Avós da Praça de Maio é uma ONG de defesa dos direitos humanos, fundada em 1977 por pessoas ligadas a desaparecidos políticos, durante a ditadura militar na Argentina (1976-1983).

O grupo tenta encontrar os filhos dessas pessoas, nascidos nas prisões, e que foram roubados de seus pais, sendo confiados a pessoas ligadas ao regime militar.

A Associação conseguiu recuperar a identidade de quase cem filhos de opositores adotados durante a ditadura, de um total de 500 casos estimados.

O "combate infatigável" das avós "possibilitou a uma centena de jovens recuperar sua identidade e reparar, assim, injustiça flagrante", declarou a diretora geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, Irina Bokova, citada em comunicado.

O prêmio Félix Houphouët-Boigny, em homenagem ao presidente da Costa do Marfim, morto em 1993, foi criado em 1989 e está dotado de 150.000 dólares.

Entre os ganhadores figuram Nelson Mandela, Frederik W. De Klerk, Yitzhak Rabin, Shimon Peres e Yasser Arafat, além do presidente senegalês Abdulay Wade.