Itália enviará ajuda à Tunísia para refugiados que deixam Líbia

A Itália enviará ajuda humanitária para a Tunísia para ajudar cerca de 10 mil refugiados que deixam a Líbia, decidiu nesta terça-feira o primeiro-ministro Silvio Berlusconi em uma reunião de gabinete, informou uma fonte do governo à AFP.

Berlusconi telefonou para o primeiro-ministro britânico, David Cameron, durante a reunião para informá-lo da decisão "na esperança de que outros países sigam o exemplo", disse a fonte.

A reunião foi centrada na "obrigação moral e humanitária" de ajudar "milhares de pessoas desesperadas que estão fugindo pela fronteira, incluindo muitas crianças", afirmou a fonte.

"Ajudá-las no local é o melhor caminho de abordar seriamente o risco de uma imensa onda de imigração" do norte da África, acrescentou a fonte.

A Itália já alertou para um êxodo "de proporções bíblicas" se o líder líbio Muamar Kadhafi for derrubado, afirmando que mais de 300 mil imigrantes podem se dirigir à costa da Europa.

Ministros afirmam que Roma já ajudou 1.400 italianos e 800 estrangeiros a deixar a Líbia.

A decisão da Itália chega no momento em que o Alto Comissariado da ONU para os refugiados fez um apelo urgente para a retirada em massa de milhares de pessoas que se dirigem à Tunísia fugindo da revolta na Líbia.