Britânico acusado de assassinato no Iraque é condenado à prisão perpétua

BAGDÁ - Um tribunal de Bagdá condenou nesta segunda-feira à prisão perpétua um agente de segurança britânico, acusado de matar dois de seus colegas, um britânico e um australiano, em 2009 no Iraque.

"É um excelente veredito, um resultado muito bom. Danny Fitzsimons escapou da pena de morte. No entanto, nós apelaremos nos próximos dias e esperamos obter uma redução da pena", declarou Tareq Harb, seu advogado iraquiano, depois do anúncio da sentença.

O advogado destacou que, pelas leis iraquianas, a prisão perpétua equivale a 20 anos de prisão.

Durante o julgamento, o acusado, de 30 anos, afirmou que agiu em defesa própria durante uma briga violenta sob influência do álcool.

Segundo Fitzsimons, seus dois colegas - o britânico Paul McGuigan e o australiano Darren Hoare - invadiram seu quarto e o derrubaram, apontando para seu rosto um fuzil de assalto e obrigando-o a utilizar sua pistola para defender-se.