Ban Ki-Moon convoca Conselho de Segurança para discutir crise marfinense

NOVA YORK - O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, convocou para esta segunda-feira uma reunião extraordinária do Conselho de Segurança para analisar a situação na Costa do Marfim, depois de denúncias sobre a venda ilegal de armas por parte de Belarus para as forças do presidente Laurent Gbagbo, que se recusa a deixar o poder.

"O secretário-geral espera que o Conselho de Segurança considere a convocação urgente de uma reunião para discutir o assunto", disse um porta-voz de Ban.

A denúncia que tanto preocupa Ban indica que três helicópteros de ataque e material de apoio teriam sido entregues por Belarus em Yomusukro para as forças leais a Gbagbo.

A primeira remessa foi enviada por avião no domingo, e outros voos devem acontecer nesta segunda-feira para o mesmo fim, afirmou o porta-voz.

"Trata-se de uma grave violação do embargo contra a Costa do Marfim, que está em vigor desde 2004", destacou.

"O secretário-geral exige respeito rigoroso ao embargo, e advertiu o fornecedor deste material militar e o senhor Gbagbo que serão adotadas medidas apropriadas em resposta a esta violação".

Alassane Ouattara, rival de Gbagbo, teve a vitória eleitoral reconhecida pela comunidade internacional depois do pleito presidencial de 28 de novembro. Gbagbo, por sua vez, recusa-se a aceitar os resultados e provocou uma crise política no país.

A ONUCI, missão da ONU na Costa do Marfim, acusou no domingo as forças de Gbagbo de terem ferido três capacetes azuis em uma emboscada.