Rússia mantém planos de vender mísseis à Líbia

A Rússia anunciou neste sábado que pretende cumprir seu contrato com a Síria de fornecimento de mísseis de cruzeiro apesar da turbulência que afeta o mundo árabe e da condenação ao acordo feita por Israel.

"O contrato está em estágio de implementação", informou a agência oficial russa, citando o ministro da Defesa, Anatoly Serdyukov.

A Rússia concordou inicialmente em enviar um grande carregamento de mísseis supersônicos navais antinavio Yakhont para a Síria em 2007, sob os termos de um acordo controverso que somente foi fechado por Serdyukov em setembro de 2010.

A revelação causou fúria tanto em Israel como nos Estados Unidos, e havia especulações de que a Rússia rasgaria o contrato em meio às turbulências que ocorrem no Oriente Médio e no Norte da África.

Israel - que tecnicamente está em estado de guerra com a Síria e teme os laços do país com o Irã - suspeita que o carregamento tenha como objetivo fornecer armamentos aos militantes do Hezbollah no Líbano.

O disputado acordo é avaliado em ao menos 300 milhões de dólares, no qual a Síria deverá receber um total de 72 mísseis.